O Dia da Mãe estava à porta e o fim do segundo confinamento também. Achámos aqui o momento ideal para uma escapadinha de fim-de-semana em família.

Já se pode volta a circular entre concelhos e até fazer uma refeição num restaurante. O mérito é do plano de desconfinamento em curso, que permite encontrar cada vez mais pessoas nas ruas. Quisemos aproveitar esta ‘nova liberdade’ e ter um fim-de-semana perfeito em família.

Não há nada mais revigorante do que uma pequena fuga à rotina com um passeio para comemorar o Dia da Mãe. E em Portugal não faltam lugares fantásticos para passeios destes. Desta vez rumámos até à Beira Interior.

Saí cedo de casa com os meus pais, padrinhos e respetivos filhos e companheiros/as e rumámos de Leiria até Gouveia.

Almoçámos num restaurante muito bonito – Restaurante Ponte dos Cavaleiros. Situado num antigo lagar de azeite, em Arcozelo da Serra, concelho de Gouveia, o restaurante e queijaria Ponte dos Cavaleiros é ponto de encontro com os sabores tradicionais da Serra da Estrela. Fizemos um passeio pelo espaço envolvente, nomeadamente, pelo forno comunitário e pelo moinho tradicional movido a água.

No restaurante, a comida é bastante boa e o vinho da casa é muito agradável, assim como a simpatia do staff.

De barriga cheia, seguimos viagem até Celorico da Beira. Em Linhares da Beira está o castelo da freguesia, situado num cabeço rochoso com vista para a Serra da Estrela. Embora sejam escassas as informações acerca da primitiva ocupação humana deste sítio, alguns autores atribuem a fundação da povoação aos Túrdulos, que aqui se teriam fixado por volta de 850 a.C..

Castelo de Linhares da Beira

Daqui fomos até Aguiar da Beira, local onde iríamos passar a noite, não sem antes conhecer a Ponte Romana do Candal – a cerca de 10km de Aguiar da Beira – pensa-se que seja uma ponte do período de ocupação romana que ligava Viseu a Mérida (Espanha).

Como bons portugueses, fizemos um pic-nic nesta zona e seguimos até à Queda de Água da Cavaca. No meio do ribeiro e na proximidade das Caldas da Cavaca forma-se um pequeno lago que origina a cascata que aqui vemos. Esta, ao cair, forma outro lago tendo a cascata cerca de 3 metros de altura.

Ao lado da cascata situa-se um parque de merendas com mesas onde vimos que podíamos ter lanchado, caso não o tivéssemos feito, minutos antes, na bagageira do carro 😊

Queda de Água da Cavaca

Demos um passeio pelo centro de Aguiar da Beira, jantámos numa pizzaria Local – Senna Bar Pizzaria – e fomos descansar, pois o dia já ia longo.


Passámos a noite no Terma’s Park Hotel ***

No domingo, depois de um saboroso e saudoso pequeno-almoço de hotel, fomos visitar o Santuário de Nossa Senhora da Lapa.

A história da Lapa começa em 1493 com o aparecimento da imagem de Nossa Senhora debaixo de uma lapa, trazida para aquele local por religiosos que fugiam ao general mouro Al Mansor.

Alguns anos mais tarde, e já sob a orientação dos jesuítas, foi construída a atual Igreja, que ficou concluída em 1635, no exato local onde a Pastorinha Joana descobriu a imagem de Nossa Senhora.

A gruta onde a imagem foi descoberta possui uma pedra muito estreia por onde reza a tradição que todos passam, exceto quem tiver pecados graves. Também nós íamos curiosos para nos testar na tal pedra estreita, mas encontra-se vedado o acesso devido às restrições impostas pela covid-19.

Ainda antes do almoço, fomos conhecer o Miradouro do Santuário de Senhora de Ao Pé da Cruz, em Sernancelhe.

Um miradouro com vista panorâmica sobre a vila e montanhas circundantes, com parque de merendas onde podem fazer um piquenique. Entretanto já tínhamos reservado mesa no restaurante Quinta de Santo Estêvão.

Quinta de Santo Estêvão

O Restaurante Quinta de Santo Estêvão fica inserido numa propriedade com 126 hectares. A comida é muito boa e o espaço muito cuidado. A quinta tem vários animais e é bastante agradável para crianças.

No caminho de volta a casa, ao passar pela Beira Alta, parámos em Viseu. Curiosamente, e sem dar por isso, eu nunca tinha visitado Viseu. Excetuando há uns anos que fui a um concerto à Feira de São Mateus, mas era de noite e nada vi. Esta pequena visita também não deu para conhecer verdadeiramente a cidade, mas hei-de voltar.

Seguimos a pé pela estrada de calçada antiga até à belíssima Sé Catedral, passámos pela Igreja da Misericórdia, os vários jardins e parques e a praça da República. Saltaram-me à vista as várias lojas de comércio tradicional que ainda resistem.

Era altura de voltar a casa para mais uma semana de trabalho, mas com energias renovadas e completamente revigorados por aqueles 2 dias em família que souberam tão bem.

Planeie o seu fim-de-semana

  1. Reserve um hotel com alguma antecedência e aproveite as promoções dos websites para o efeito (eu faço a maioria das minhas reservas no Booking).
  2. Faça uma pesquisa dos locais a visitar nas redondezas e construa um breve roteiro, de forma a não perder tempo. Dois dias passam a correr.
  3. Quando fizer o roteiro, planeie também os locais onde quer fazer as refeições, pois se está a pensar comer em restaurantes é importante que faça a reserva atempadamente. Todos sabemos que as novas regras assim o exigem. Os espaços estão mais condicionados e ninguém quer perder 1 hora em filas de espera.
  4. Se viajarem com mais de 5 pessoas pensem em alugar uma carrinha de 9 lugares. Nós costumamos fazer isso e, para além de pouparmos em combustível e portagens de 2 carros, é muito divertido.

a-ângela

Também pode gostar de: